O Caçados que traz Alegrias é o enredo da Porto da Pedra para 2021

A Unidos do Porto da Pedra divulgou, nesta sexta-feira, 26, seu enredo para o Carnaval 2021. O tema, de autoria da carnavalesca Annik Salmon, irá contar a história da Mãe Stella de Oxóssi, grande líder religiosa, defensora da cultura negra.

“Eu tive a ideia de escrever um enredo sobre ela no carnaval passado. No meio das pesquisas sobre baianas de acarajé, conheci a história de Mãe Stella de Oxóssi , que é baiana nascida em Salvador, uma grande líder religiosa , defensora da cultura negra , lutou contra discriminação de negros , pobres , mulheres e sempre valorizando o ser humano . Me apaixonei pela sua história e baseada numa frase dela : “o que não se escreve o tempo apaga”, não podia deixar de escrever um enredo sobre ela”, revelou Annik.

Vigário Geral contará a história da “Pequena África” na Marquês de Sapucaí em 2021

Através de uma live no seu perfil oficial, o Acadêmicos de Vigário Geral anunciou o seu enredo para o Carnaval 2021. “Pequena África: Da Escravidão ao Pertencimento – Camadas de Memórias entre o Mar e o Morro” será desenvolvido pelos Carnavalescos Alexandre Costa, Lino Sales e Marcus do Val. O tema será uma exaltação a região da Pequena África e toda sua população, reconhecimento de seu valor geográfico, urbano e artístico, enaltecendo suas raízes e seu pertencimento histórico-cultural.

O enredo apresentará a região do Centro do rio de Janeiro onde quase 1 milhão de negros escravizados chegaram ao Brasil, povoando toda a região, e mesmo diante de todas as dificuldades em uma nova terra, criaram instituições e culturas que se tornaram símbolos não só da cidade do Rio de Janeiro, mas todo o país, e cuja história estava soterrada por camadas de progresso.

É um enredo lindo que os nossos carnavalescos trouxeram para a nossa direção, fiquei emocionada. Um tema que será uma verdadeira homenagem a esse povo escravizado, que mesmo liberto, só conseguiu construir seu espaço na sociedade através de seu próprio e incansável esforço“, revelou a Presidente Betinha.

O Rio de Janeiro, como a exemplo da maioria das grandes metrópoles, desenvolveu-se a partir do porto. Porta de entrada da cidade, a Zona Portuária desempenhou um papel importante na história da construção da identidade do povo carioca sendo ponto de encontro de diferentes culturas. Esse passa a ser o ponto de partida de nossa viagem à Pequena África.  

Castor de Andrade será o enredo da Unidos de Bangu no Carnaval 2021

A história do patrono Castor de Andrade será enredo da Unidos de Bangu no Carnaval 2021. A Vermelho e Branco da Zona Oeste levará para a Marquês de Sapucaí “Deu Castor na cabeça”, desenvolvido pelo carnavalesco Clécio Régis. Da sua infância até os anos de glória, a agremiação contará as honras desta figura carismática e “folclórica” do bairro banguense.

Castor contribuiu para a grandeza do símbolo maior que é o futebol. No final dos anos 60, assumiu a direção do Bangu Atlético e conquistou diversos títulos, como o inesquecível Carioca de 1966 e outros que coroaram sua passagem de glórias no clube. Castor também foi Presidente da Mocidade Independente de Padre Miguel, sua escola de coração, onde se dedicou de corpo e alma e atingiu o apogeu faturando cinco títulos.

– É uma grande honra falar sobre o Castor de Andrade, com certeza a nossa escola fará um belo desfile na Marquês de Sapucaí em 2021. Estamos muito confiante no trabalho do nosso carnavalesco Clécio, que é uma figura bastante popular e querida por todos no bairro de Bangu. Será um ponto primordial em relação ao nosso enredo – declarou o Presidente Thiago Oliveira.

Apaixonado pelo bairro da Zona Oeste, Clécio Régis criou diversas obras para enfeitar as ruas de Bangu com telas e painéis, além de criar um museu para valorizar e preservar o lugar que escolheu para viver e permanece há quase 40 anos. Contar a história de Castor de Andrade na Marquês de Sapucaí será um resumo perfeito da ligação da escola com sua história e sua comunidade.

 Este será um carnaval diferente com uma linha estética fugindo totalmente dos padrões tradicionais, logicamente inspirada em carnavalescos que admiro muito. É a realização de um sonho antigo, que está se tornando realidade no meu bairro tão querido de Bangu. Estamos vindo para fazer história – contou o carnavalesco Clécio Régis.

A Unidos de Bangu já vem se preparando para fazer um desfile à altura do grande Castor de Andrade e buscará o campeonato da Série A no Carnaval 2021. O enredo será um grande presente à toda comunidade vermelha e branca que tem orgulho da história do seu bairro.

União da Ilha vai reeditar ‘Festa Profana’ em 2021

Um dos Carnavalescos da União da Ilha do Governador, Cahê Rodrigues, confirmou durante uma live, que a escola irá reeditar, no próximo Carnaval, o enredo ‘Festa Profana” de 1989.