Notícias

logo-lierj

Lierj segue responsável por organizar o Carnaval da Série A; entidade condena ataques infundados

logo-lierjA Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro reitera ser, desde maio de 2012, a única entidade responsável por organizar os desfiles da Série A, realizados na sexta-feira e no sábado de Carnaval, no Sambódromo carioca. Sendo assim, a diretoria da Lierj, democraticamente eleita pelas agremiações e representantes, não reconhece qualquer movimento isolado que visa puramente chamar a atenção, sem qualquer argumentação coerente que justifique eventuais rompimentos.

Vale ressaltar que não são poucos os tópicos irracionais que ditam a criação do que seria uma nova Liga, batizada de maneira bastante “criativa” como “Liga-RJ”. Os autoproclamados dirigentes, que não possuem legitimidade para tomar nenhuma decisão em prol do grupo, confundem de forma maldosa os objetos de acusação, direcionando questionamentos para quem está totalmente em dia com as obrigações que regem o estatuto, fato comprovado pelo poder público e pelos apoiadores, que jamais aportariam recursos caso tivesse ocorrido qualquer tipo de dúvida ou irregularidade ao longo de sete carnavais de enorme sucesso de crítica e público. Os próprios “líderes” de tal movimento oposicionista têm total ciência da normalidade da situação, uma vez que, ao longo de todos os anos em que fizeram parte da entidade, jamais protocolaram nenhuma queixa ou pedidos de esclarecimento, o que deixa mais do que claro tratar-se, agora, de ações puramente aproveitadoras para corresponder ao desejo de uma minoria de chegar ao poder e, assim, atender a vontades individuais a qualquer custo.

Infelizmente, o mesmo compromisso com a seriedade que sempre guiou a administração da Lierj não pôde ser observado em outras entidades, cujos atos obscuros deixaram os grupos de acesso do Rio de Janeiro à beira do declínio. Indaga-se, por exemplo, a localização da prestação de contas e de diversos documentos esclarecedores dos anos em que a Lesga dirigiu os até então grupos de acesso A e B. A antiga Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso tinha como presidente, durante todo o período, o Sr. Reginaldo Gomes, também presidente da Inocentes de Belford Roxo, e foi extinta em 2012 após uma série de denúncias sobre irregularidades que seguem até hoje sem respostas.

Além disso, não é de se estranhar no grupo que seria “dissidente” a presença de pessoas com cargos e ligações publicamente estreitas, simultaneamente, com a Liga Independente das Escolas de Samba do Brasil e com agremiações que foram campeãs da Série B nos últimos quatro anos de maneira totalmente contestável. O próprio presidente da Liesb, Gustavo Barros, chegou a frequentar reuniões plenárias na Lierj como representante de escola recém-promovida do grupo que administra. Tais ações só corroboram a desconfiança crescente de sambistas, foliões, influenciadores digitais e jornalistas especializados com os grupos da Intendente Magalhães, uma vez que não é raro ver desfiles irretocáveis e premiados serem sumariamente rebaixados, em vez de ocuparem posições condizentes com o que apresentaram.

Ao contrário do que preza a ética, o bom senso e, principalmente, o respeito com os profissionais e desfilantes que tanto se doam ao Carnaval, a Liga supracitada não demonstra qualquer interesse em ser transparente, uma vez que a formação do corpo de jurados e o respectivo desenvolvimento do julgamento é cercado por mistérios. Não há qualquer registro na mídia ou na Internet que esclareça os respectivos nomes e critérios utilizados para avaliações, assim como a maneira em que foram designados a cada módulo, para onde as notas são levadas após o término dos desfiles, como são transportadas até a apuração e, principalmente, os motivos que levaram a cada pontuação, através de justificativas escritas. Essas situações colocam em xeque, por exemplo, a ascensão de escolas tidas nos bastidores como pertencentes a um mesmo dono, como G.R.E.S. Unidos de Bangu, G.R.E.S. Acadêmicos do Sossego, G.R.E.S. Unidos da Ponte e G.R.E.S. Acadêmicos de Vigário Geral, cuja desconfiança é ainda mais enfática, com diversas agremiações da Série B vindo procurar a Lierj para relatar fatos estarrecedores. Sendo assim, a filiação do Vigário Geral não será aceita até que sejam feitos os devidos esclarecimentos.

Nunca é demais recordar, ainda, que dirigentes dessas duas instituições, Lesga e Liesb, antes de liderarem a criação da ilegítima “Liga-RJ”, já tinham tentado chegar ao poder de maneira irregular na própria Lierj, tentando convocar assembleias em desacordo com o estatuto. Tal convocação foi invalidada pela Justiça, que determinou uma multa no valor de R$ 500 mil, sob pena de prisão, em caso de descumprimento. O grupo, liderado pelo presidente do Conselho Deliberativo da Liesb, que também é dirigente do G.R.E.S. Unidos de Bangu e das demais escolas oriundas da Série B nos últimos anos, chegou a recorrer, recebendo novamente parecer desfavorável. Na decisão, o desembargador Pedro Saraiva de Andrade Lemos ressalta que “a alegação de que o Sr. Sandro Avelar seria procurador dotado de poderes para transigir por dez agremiações associadas não restou minimamente comprovado pelo agravante”.

Por fim, causa surpresa a composição de eventual vice-presidência pelo Sr. Fabio Montibelo, uma vez que é também presidente do G.R.E.S. Unidos do Porto da Pedra e já havia enfatizado repetidas vezes em entrevistas que não ocuparia qualquer cargo em Liga por considerar tal fato “imoral”. O caso é ainda mais peculiar na medida em que o dirigente quer mandar ao lado do Sr. Wallace Palhares, presidente do G.R.E.S. Acadêmicos do Sossego durante todo o período em que a escola esteve na Série A e que nem no grupo estaria atualmente por ter sido rebaixada em 2018, como a última colocada, tendo permanecido no grupo apenas pela piedade das coirmãs.

Em síntese, a Lierj realça o compromisso com os sambistas e com as agremiações para seguir realizando o trabalho honesto e competente que tanto gerou frutos e consolidou a Série A como um verdadeiro sucesso, fato ratificado pela opinião pública e pelos parceiros que conquistou ao longo dos anos, como a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), a TV Globo e tantos outros que voltaram a acreditar em um grupo de acesso após várias décadas. A entidade garante que seguirá agindo conforme a ética e a transparência, sempre respeitando a lei e o Estatuto Social, e que tomará as providências cabíveis contra qualquer tipo de ofensa, tentativas baratas de desestabilização e acusações infundadas. A diretoria da entidade segue com total tranquilidade, pois sabe que o sambista não é bobo e sabe avaliar todos os fatos com inteligência, em vez de cair em contos ou historinhas.

logo-lierj

Nota oficial – Renato Thor segue na presidência da Lierj

logo-lierjCaros sambistas e foliões,

No dia 28 de março, manifestei publicamente a minha vontade de não continuar na presidência da Lierj. Naquele momento, apesar de ter a total convicção na realização de um bom trabalho, achei por bem encerrar o meu ciclo na administração da entidade. Como sempre deixei muito claro, não me preocupo com cargos ou escalões. Por isso, ao tomar ciência da insatisfação de algumas escolas de samba, achei por bem tomar aquela atitude, justamente para não atrapalhar o crescimento que tanto batalhamos para viabilizar na Série A.

Desde aquele anúncio, porém, acabou sendo revelado um cenário completamente diferente daquele que imaginávamos. Antes mesmo que pudéssemos iniciar os trâmites burocráticos para que eu e minha diretoria deixássemos oficialmente a Liga e encaminhássemos uma transição salutar para um novo gestor, começou uma leviana busca pela cadeira, com tentativas ilegítimas de tomada do poder. Em vez de serem seguidas todas as etapas legais, foram realizados atos que buscavam atropelar a lei, a ética e o bom senso. No lugar em que deveriam estar ideias e projetos para que a Série A continuasse a evoluir, como vínhamos promovendo ano a ano, pudemos observar discursos vazios, carregados apenas por ofensas pessoais e, principalmente, por críticas e acusações infundadas, plantadas de maneira irresponsável em veículos de comunicação regionais.

Foi quando percebi que não se tratava da insatisfação de agremiações com o modelo de gestão em vigor, mas sim de uma ambição pessoal para ascensão ao comando. Ficou muito claro que os objetivos eram puramente individuais e nem de longe contemplariam as escolas de samba e seus segmentos, enfraquecendo aquele produto cultural que vem sendo lapidado com tanto carinho e alcançou resultados tão expressivos nos últimos anos.

Essa mesma percepção vem sendo incessantemente compartilhada por sambistas, desfilantes, espectadores, trabalhadores e militantes do Carnaval. Seja em eventos de samba, nas quadras das agremiações ou através das redes sociais, todos começaram a expressar o mesmo receio com o futuro da Série A.

Diante de todos os fatos, não posso ignorar a preocupação de milhares de foliões que seriam diretamente afetados por ações precipitadas que certamente causariam um retrocesso no espetáculo. Corre em minhas veias o sangue de um sambista na mais pura essência, cria de comunidade, apaixonado por Carnaval. Não posso virar as costas diante de tantos pedidos sinceros de pessoas apreensivas por conta de anseios isolados que poderiam, inclusive, colocar em risco a realização dos desfiles de sexta-feira e de sábado. Por isso, em prol de uma Lierj que foi construída na base da honestidade, da competência e do coletivo, com o objetivo de fortalecer as escolas de samba, aproximando o público de um produto atrativo, recheado de beleza, criatividade e samba no pé, informo que, por ora, não protocolarei a carta de renúncia e retomarei as atividades como presidente da Liga, buscando a união entre aqueles que realmente têm boas intenções para o grupo.

Vale ressaltar que eu e minha equipe seguiremos trabalhando naquilo em que sempre fomos pautados, com total transparência e conformidade com o que rege o estatuto, devidamente corroborado e assinado pelas escolas de samba. Esse lema será sempre levado em conta, até que chegue o dia em que o ciclo esteja completo e o Carnaval da Série A bem encaminhado para seguir na trilha do sucesso.

Atenciosamente,

Renato Thor
Presidente
Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro

logo-lierj

Carta de despedida – Renato Thor

logo-lierjCaros sambistas e admiradores do Carnaval da Série A,

Não foram poucos os obstáculos que encontramos pela frente quando aceitamos o desafio de criar a Lierj, em 2012. Após receber dois grupos de acesso que estavam, naquela altura, totalmente desacreditados, precisávamos atuar não só para recuperar a credibilidade do espetáculo como para devolver ao folião a alegria em defender o pavilhão na avenida. Dessa forma, mesmo sabendo que a missão não seria fácil, não podia ignorar os pedidos sinceros de cidadãos humildes de diversas comunidades, que clamavam pela valorização do produto cultural e, principalmente, por resultados justos. Então, aceitei ser um dos líderes daquele novo time, na época, como vice-presidente.

E foi na base do trabalho e da competência que conseguimos gerar frutos impressionantes em um curto espaço de tempo, fato ratificado e exaltado pela mídia e por formadores de opinião. Criamos a Série A, um modelo inovador que colocou a sexta-feira e o sábado de Carnaval no calendário de eventos do Rio de Janeiro. Os efeitos foram tão positivos que conquistamos o apoio de diversos parceiros, como a Liesa e a TV Globo, que passou a transmitir os desfiles. Além disso, voltamos a valorizar as raízes, colocando ingressos a preços populares e aproximando o público das agremiações.

Ano a ano, a gestão foi se aprimorando e as escolas de samba evoluindo cada vez mais. Por mais que as inúmeras dificuldades fossem aparecendo, a paixão pelo samba ia falando mais alto. Assim, a partir de 2018, dei continuidade ao bom trabalho que já estava em andamento, assumindo o cargo de presidente.

E olha que não foram poucas as barreiras que tivemos que ultrapassar. Além de nos depararmos com sucessivos cortes de verba por parte da Prefeitura, sofremos junto com as agremiações para encontrar alternativas e viabilizar a produção dos desfiles, uma vez que muitas foram despejadas dos barracões sem qualquer indicação de novos locais por parte do poder público. Isso sem falar no temporal que assolou a cidade em pleno dia de desfile, alagando diversas ruas e o próprio Sambódromo. De maneira serena, usamos o bom senso e conseguimos administrar a situação de forma satisfatória, sem colocar em risco as apresentações, os espectadores e os desfilantes.

Vale ressaltar que, desde o primeiro dia da gestão, todos os atos foram realizados com total transparência e conformidade com o que rege o estatuto da Liga, sem histórico de questionamentos por parte de quaisquer agremiações. Desde o início, o objetivo era agir em prol do coletivo, sem deixar espaço para ego, vaidade e, principalmente, ambição ao poder e interesses pessoais, que jamais podem ser colocados à frente das comunidades, dos foliões e dos sambistas.

Infelizmente, não é possível agradar a todos. Por isso, com a consciência limpa e a total tranquilidade de que o trabalho foi bem executado ao longo desses oito anos, me despeço da presidência da Lierj, deixando votos para que as conquistas não sejam esquecidas e o Carnaval da Série A possa seguir em crescimento na próxima gestão.

Agradeço o respeito com que dirigentes, presidentes e integrantes de todas as escolas de samba que já passaram pela Liga trataram a mim e minha equipe durante todo esse tempo. Desejo sorte e sucesso para que todos possam honrar suas bandeiras e seguir militando incansavelmente em prol do maior espetáculo cultural do planeta.

Atenciosamente,

Renato Thor

logo-lierj

Nota oficial – mudança na direção de Carnaval

logo-lierjA Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro anuncia que o cargo de direção de Carnaval da entidade passará por mudanças para o Carnaval 2020. A Lierj agradece a Rodrigo Soares pelo período em que esteve à frente do departamento e deseja sucessos nos próximos projetos.

A Lierj ressalta que anunciará em breve o nome do novo diretor.

40299644383_48572c9998_k

Estácio de Sá é campeã do Carnaval 2019 da Série A

40299642363_72c43b8083_zA Estácio de Sá é a grande vencedora do Carnaval 2019 da Série A. Com um enredo sobre o surgimento da imagem do Cristo Negro de Portobelo, no Panamá, a vermelha e branca encantou o público e os jurados e levou o troféu, garantindo uma vaga ao Grupo Especial em 2020. A vice-campeã foi a Acadêmicos do Cubango.

Confira a classificação final:

1º Estácio de Sá
2º Acadêmicos do Cubango
3º Unidos do Porto da Pedra
4º Império da Tijuca
5º Acadêmicos de Santa Cruz
6º Unidos de Padre Miguel
7º Renascer de Jacarepaguá
8º Unidos de Bangu
9º Inocentes de Belford Roxo
10º Unidos da Ponte
11º Acadêmicos da Rocinha
12º Acadêmicos do Sossego
13º Alegria da Zona Sul

logo Carnaval 2019 LIERJ

Bateria será o primeiro critério de desempate no Carnaval 2019 da Série A

logo Carnaval 2019 LIERJO quesito bateria será o primeiro critério de desempate na apuração desta Quarta-feira de Cinzas, que definirá o campeão do Carnaval 2019 da Série A. Em sorteio realizado na sede da Lierj, nesta tarde, conforme regulamento, ficou definida a seguinte ordem de abertura dos envelopes:

1 – Alegorias e adereços
2 – Mestre-sala e porta-bandeira
3 – Harmonia
4 – Fantasia
5 – Enredo
6 – Samba-enredo
7 – Evolução
8 – Comissão de frente
9 – Bateria

A apuração acontece logo após o resultado do Grupo Especial, na Praça da Apoteose, por volta das 18h.

vir

Desfiles da Série A prometem encantar o folião a partir de sexta-feira

viradQuando o relógio marcar dez e meia da noite de sexta-feira, dia 1º de março, o folião pode esperar vários espetáculos consecutivos repletos de criatividade, energia e, principalmente, emoção. Ao todo, 13 escolas de samba desfilam na Marquês de Sapucaí, em dois dias, para mostrar por que o Carnaval do Rio continua sendo o mais empolgante do mundo.

Na primeira noite, desfilam Unidos da Ponte, Alegria da Zona Sul, Rocinha, Santa Cruz, Unidos de Padre Miguel, Inocentes de Belford Roxo e Sossego. As escolas terão entre 45 e 55 minutos para mostrar os enredos, que prometem mostrar a diversidade religiosa, contar fatos da história e promover grandes homenagens.

O horário e o tempo de desfile são os mesmos no sábado, quando chegam Unidos de Bangu, Renascer de Jacarepaguá, Estácio de Sá, Porto da Pedra, Império da Tijuca e Cubango. Os temas seguem variados, indo da fé até a alimentação. Todos devem levar entre duas e quatro alegorias.

Para conhecer a campeã, será necessária uma rigorosa avaliação em nove diferentes quesitos, que vai ser feita por um corpo julgador formado por 36 profissionais. A apuração será realizada na Quarta-feira de Cinzas, por volta das 17h, quando será conhecida a agremiação que subirá ao Grupo Especial em 2020.

Desfiles das escolas de samba da Série A
Carnaval 2019
Horário de início nos dois dias: 22h30
Venda de ingressos: até as 23h ou até esgotarem

logo Carnaval 2019 LIERJ

Lierj apresenta os jurados do Carnaval 2019 da Série A

logo Carnaval 2019 LIERJA Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro realizou nessa semana o Curso de Julgadores para o Carnaval 2019 da Série A. Ao todo, foram selecionados 36 profissionais que, divididos em nove quesitos, avaliarão os trabalhos das agremiações nas apresentações de sexta-feira e de sábado de folia, no Sambódromo.

Durante a preparação, que também contou com a presença de representantes das escolas de samba, foi realizado, ainda, o sorteio para definir o módulo em que cada julgador atuará.

Confira a relação, já com o número da respectiva cabine:

COMISSÃO DE FRENTE
1- Ruidglan Barros
2- Irene Orazem
3- Fábio Canejo
4- Tania Nhary

SAMBA-ENREDO
1- André Bonatte
2- Renato Vazquez
3- Marcos Vinícius Monteiro
4- Sérgio Lobato

MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA
1- Aline Lima
2- Andrezza Cunha
3- Vera Aragão
4- Márcia Frey

EVOLUÇÃO
1- Paulo Melgaço
2- Malu Cotrim
3- Levi Cintra
4- Carlos Vieira

ENREDO
1- Gilmar Oliveira
2- Maurício Tavares
3- André Camargo
4- Flávio Freire

HARMONIA
1- Tiago Ribeiro
2- Angélica Lessa
3- Luiz Eduardo
4- Ruy de Oliveira

ALEGORIAS E ADEREÇOS
1- José Antônio Rodrigues
2- André Pereira
3- Ricardo Lopes
4- Alexandre Gonçalves

FANTASIA
1- Izabel Cristina
2- João Miranda
3- Gustavo Luiz
4- Suely Medeiros

BATERIA
1- Nelson Pestana
2- Edimar Ubirajara
3- Oscar Bolão
4- Luis Carlos “Meu Bom”

logo Carnaval 2019 LIERJ

Venda de ingressos de arquibancadas para desfiles da Série A começa nesta segunda-feira

logo Carnaval 2019 LIERJA Lierj, em parceria com a Central de Atendimento e Vendas da Liesa, inicia nesta segunda-feira, dia 18, a venda de ingressos de arquibancadas para os desfiles da Série A. Os preços seguem populares. Todos os setores disponíveis possuem entradas a R$ 15, com exceção do setor 9, que sai a R$ 50.

As vendas acontecem no estande montado atrás do setor 11 do Sambódromo, na Rua Salvador de Sá, no Estácio, de segunda a sexta-feira, entre 10h e 16h.

Os desfiles da Série A acontecem na sexta-feira, 1º de março, e no sábado, 2. Em ambos os dias, as apresentações começam às 22h30.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 2233-8151.

logo-lierj

Nota oficial – Lierj reafirma luta por dignidade na Série A

logo-lierjA Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro realça que, até o momento, o contrato com a Prefeitura para o Carnaval 2019 da Série A não foi assinado. Além disso, a menos de um mês para os desfiles, não há qualquer informação oficial por parte do órgão público sobre valores e prazos, com a Lierj tomando conhecimento dos fatos somente através de entrevistas e matérias veiculadas pela imprensa.

A Lierj reafirma que segue diariamente cobrando respostas, a fim de efetuar um planejamento efetivo com as escolas de samba para a realização de desfiles onde o público possa ter orgulho dos trabalhos produzidos por 13 comunidades que merecem reverência e atenção.

Vale ressaltar, ainda, que, ao mesmo tempo em que não mede esforços para buscar uma rápida resolução dos impasses, sem abrir mão do que considera essencial para o bem do Carnaval, a Liga sempre trata os interlocutores com extremo respeito, mesmo que venham a divergir em conceitos e ideologias. Sendo assim, a entidade não compactua com qualquer ataque pessoal ou ofensa, independentemente de discursos proferidos, credos, filosofias ou preferências.

A Liga segue confiante que todas as apresentações ocorrerão de maneira limpa, criativa e respeitosa, atendendo sempre os princípios e diretrizes do regulamento.