A notícia desta categoria aparecerá como manchete destaque na tela inicial (primeira notícia destaque).

Lierj e Ação da Cidadania fazem doações para Escolas de Samba Mirins e casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira da Série A

Em mais uma demonstração de cuidado com todos que fazem parte do contexto de seu carnaval, a Diretoria da LIERJ (Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro)  entregou, na manhã desta segunda-feira (17), aos representantes do Projeto Bailado Solidário, os alimentos e produtos de higiene que foram doados pela ONG Ação da Cidadania e serão destinados aos casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, além de escolas de samba mirins, ligadas a agremiações da Série A.
– É um momento realmente complicado e quanto mais pudermos ajudar aqueles que mais precisam, será importante. Agradecemos aos parceiros da Ação da Cidadania e parabenizamos o Diogo Jesus pela iniciativa do projeto Bailado Solidário, que vai receber a doação – destacou Bruno Tetê, Diretor Social da Lierj.
Foram doadas 5 toneladas de alimentos e produtos de higiene, que serão entregues às escolas de samba mirins Nova Geração da Estácio, Infantes do Lins e Império do Futuro, além dos 15 casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira que representam os pavilhões das agremiações filiada à Lierj.

Mussum será o enredo da Lins Imperial para o próximo carnaval

Nós últimos carnavais, a Lins Imperial optou por fazer homenagens a personalidades do samba. Para o próximo carnaval, não será diferente. Com o enredo “Mussum pra sempris – traga o mé que hoje com a Lins vai ter muito samba no pé!”, a escola se propõe a homenagear Antônio Carlos Bernardes Gomes, o eterno Mussum.

Retornando ao Sambódromo, a agremiação aposta num enredo que mexa com o coração e a identidade da comunidade. Mussum, embora tenha levado consigo o nome da Mangueira, nasceu no Morro da Cachoeirinha, uma das comunidades do Complexo do Lins.

A escolha da homenagem a Antônio Carlos começou a ganhar mais força após Raphael Homem e Mateus Pranto, enredistas e diretores culturais da Lins Imperial, comentarem, em uma das lives do “De casa com a Lins”, sobre a importância da comunidade conseguir se identificar com o enredo proposto pela escola. “O retorno à Marquês de Sapucaí também pode significar o reencontro da agremiação com o seu público, sua gente”, explicou Raphael Homem.

Antônio Carlos nasceu na Cachoeirinha e, como tantas outras pessoas, aprendeu a se virar para sobreviver. “Mussum aprendeu a ter muitas faces, dividindo-se em muitas tarefas e as fazendo de forma exemplar”, disse Mateus Pranto.

A ideia é mostrar ao público as muitas facetas do grande artista que foi Antônio Carlos, muitas vezes ofuscado pelo Mussum, o trapalhão. “Será uma boa oportunidade, para quem acompanhou a sua trajetória, de matar a saudade do artista. Para a geração que o conheceu por meme, de aprender sobre a importância do artista para a música, para o cinema e para a televisão”, complementaram os diretores.

O enredo “Mussum pra sempris – traga o mé que hoje com a Lins vai ter muito samba no pé!” será desenvolvido pelos carnavalescos Eduardo Minucci e Rai Menezes.

Inocentes de Belford Roxo define enredo para 2021

No último dia 11 de julho, a Inocentes de Belford Roxo realizou uma live para comemorar seu aniversário e divulgar o enredo que levará para a Marquês de Saúcai no próximo Carnaval. O tema ‘A Meia Noite dos Tambores Sileciosos’ será o enredo desenvolvido pelo carnavalesco Lucas Milato.

O Caçados que traz Alegrias é o enredo da Porto da Pedra para 2021

A Unidos do Porto da Pedra divulgou, nesta sexta-feira, 26, seu enredo para o Carnaval 2021. O tema, de autoria da carnavalesca Annik Salmon, irá contar a história da Mãe Stella de Oxóssi, grande líder religiosa, defensora da cultura negra.

“Eu tive a ideia de escrever um enredo sobre ela no carnaval passado. No meio das pesquisas sobre baianas de acarajé, conheci a história de Mãe Stella de Oxóssi , que é baiana nascida em Salvador, uma grande líder religiosa , defensora da cultura negra , lutou contra discriminação de negros , pobres , mulheres e sempre valorizando o ser humano . Me apaixonei pela sua história e baseada numa frase dela : “o que não se escreve o tempo apaga”, não podia deixar de escrever um enredo sobre ela”, revelou Annik.

Vigário Geral contará a história da “Pequena África” na Marquês de Sapucaí em 2021

Através de uma live no seu perfil oficial, o Acadêmicos de Vigário Geral anunciou o seu enredo para o Carnaval 2021. “Pequena África: Da Escravidão ao Pertencimento – Camadas de Memórias entre o Mar e o Morro” será desenvolvido pelos Carnavalescos Alexandre Costa, Lino Sales e Marcus do Val. O tema será uma exaltação a região da Pequena África e toda sua população, reconhecimento de seu valor geográfico, urbano e artístico, enaltecendo suas raízes e seu pertencimento histórico-cultural.

O enredo apresentará a região do Centro do rio de Janeiro onde quase 1 milhão de negros escravizados chegaram ao Brasil, povoando toda a região, e mesmo diante de todas as dificuldades em uma nova terra, criaram instituições e culturas que se tornaram símbolos não só da cidade do Rio de Janeiro, mas todo o país, e cuja história estava soterrada por camadas de progresso.

É um enredo lindo que os nossos carnavalescos trouxeram para a nossa direção, fiquei emocionada. Um tema que será uma verdadeira homenagem a esse povo escravizado, que mesmo liberto, só conseguiu construir seu espaço na sociedade através de seu próprio e incansável esforço“, revelou a Presidente Betinha.

O Rio de Janeiro, como a exemplo da maioria das grandes metrópoles, desenvolveu-se a partir do porto. Porta de entrada da cidade, a Zona Portuária desempenhou um papel importante na história da construção da identidade do povo carioca sendo ponto de encontro de diferentes culturas. Esse passa a ser o ponto de partida de nossa viagem à Pequena África.  

Castor de Andrade será o enredo da Unidos de Bangu no Carnaval 2021

A história do patrono Castor de Andrade será enredo da Unidos de Bangu no Carnaval 2021. A Vermelho e Branco da Zona Oeste levará para a Marquês de Sapucaí “Deu Castor na cabeça”, desenvolvido pelo carnavalesco Clécio Régis. Da sua infância até os anos de glória, a agremiação contará as honras desta figura carismática e “folclórica” do bairro banguense.

Castor contribuiu para a grandeza do símbolo maior que é o futebol. No final dos anos 60, assumiu a direção do Bangu Atlético e conquistou diversos títulos, como o inesquecível Carioca de 1966 e outros que coroaram sua passagem de glórias no clube. Castor também foi Presidente da Mocidade Independente de Padre Miguel, sua escola de coração, onde se dedicou de corpo e alma e atingiu o apogeu faturando cinco títulos.

– É uma grande honra falar sobre o Castor de Andrade, com certeza a nossa escola fará um belo desfile na Marquês de Sapucaí em 2021. Estamos muito confiante no trabalho do nosso carnavalesco Clécio, que é uma figura bastante popular e querida por todos no bairro de Bangu. Será um ponto primordial em relação ao nosso enredo – declarou o Presidente Thiago Oliveira.

Apaixonado pelo bairro da Zona Oeste, Clécio Régis criou diversas obras para enfeitar as ruas de Bangu com telas e painéis, além de criar um museu para valorizar e preservar o lugar que escolheu para viver e permanece há quase 40 anos. Contar a história de Castor de Andrade na Marquês de Sapucaí será um resumo perfeito da ligação da escola com sua história e sua comunidade.

 Este será um carnaval diferente com uma linha estética fugindo totalmente dos padrões tradicionais, logicamente inspirada em carnavalescos que admiro muito. É a realização de um sonho antigo, que está se tornando realidade no meu bairro tão querido de Bangu. Estamos vindo para fazer história – contou o carnavalesco Clécio Régis.

A Unidos de Bangu já vem se preparando para fazer um desfile à altura do grande Castor de Andrade e buscará o campeonato da Série A no Carnaval 2021. O enredo será um grande presente à toda comunidade vermelha e branca que tem orgulho da história do seu bairro.

União da Ilha vai reeditar ‘Festa Profana’ em 2021

Um dos Carnavalescos da União da Ilha do Governador, Cahê Rodrigues, confirmou durante uma live, que a escola irá reeditar, no próximo Carnaval, o enredo ‘Festa Profana” de 1989.

Império da Tijuca divulga enredo para Carnaval 2021

O Império da Tijuca divulgou seu enredo já para o Carnaval do ano 2021. A escola do Morro da Formiga vai desenvolver o enredo Samba de Quilombo – A Resistência pela Raiz, de autoria do carnavalesco Guilherme Estavão.

Lins Imperial contrata coreógrafa para os casais de mestre-sala e porta-bandeira

Após renovar o contrato dos casais de mestre-sala e porta-bandeira, Weslen Santos e Manoela Cardoso, e Paulo Roza e Manu Brasil para o carnaval 2021, a Lins Imperial contratou a preparadora e coreógrafa Fernanda Costa para coreografar os duplas para o próximo carnaval, quando a agremiação voltará a desfilar na Marquês de Sapucaí pela Série A após 9 anos desfilando na Intendente Magalhães.

Querendo fazer bonito em seu retorno para garantir a nota máxima no quesito, a verde e rosa do Lins investirá nos serviços da profissional à convite do presidente Flavio Mello.

Fernanda iniciou sua carreira no carnavalFernanda Costa 2coreografando alas na Mocidade Independente de Padre Miguel e Unidos da Tijuca. Na escola do Borel se aproximou do então casal Julinho Nascimento e Rute Alves e passou a fazer escola com a dupla.  Em 2019 coreografou o segundo casal de mestre-sala e porta-bandeira da Portela e primeiro da Unidos da Ponte, Yuri Souza e Camila Nascimento e em 2020 coreografou o primeiro casal do Acadêmicos da Rocinha, Vinicius Jesus e Viviane Oliveira.

– A Lins é uma escola extremamente organizada e estruturada, o que facilitará o trabalho. Particularmente já gosto demais da dança dos casais. Acho que já passamos da fase da dança muito coreografada, vamos fazer um trabalho mais clássico. Nesse momento de pandemia em que não podemos ter contato físico, já iniciamos uma análise à distância. Já identificamos os pontos fortes e fracos de cada um através de vídeos. A mudança de movimentos de mãos, pés de finalização, além de estudo de justificativas – explica a contratada.

Além da contratação da coreógrafa, a escola já prepara, pós pandemia, a parceria com um estúdio de dança na Lapa para realizar os ensaios, bem como treinamento funcional para os bailarinos.

Porto da Pedra distribuirá quentinhas de feijoada no dia de São Jorge

20200422_144010A situação da população mais carente chama a atenção nesses tempos de pandemia do coronavírus. Sensibilizados com essa situação, a diretoria e presidência da Unidos do Porto da Pedra resolveram se organizar para distribuir quentinhas de feijoada, no próximo dia 23, data em que comemoramos o dia de São Jorge. A intenção é distribuir cerca de 100 quentinhas para as famílias mais necessitadas da nossa comunidade e também para moradores em situação de rua.

“As pessoas estão passando dificuldades em nosso município. Nesse momento de extrema dificuldade, percebemos que as pessoas nas ruas estão preocupadas em se alimentar. Por isso, tivemos a preocupação, nesse momento, de doar as quentinhas”. conta o presidente da Unidos do Porto da Pedra, Fábio Montibelo.

As quentinhas serão preparadas e arrumadas a partir das 10h da manhã, na quadra da agremiação (rua João Silva 84, Porto da Pedra). A partir do meio dia, componentes da harmonia do tigre sairão para a distribuição.

“No dia 23, dia de São Jorge, nós iremos servir a feijoada para os mais necessitados, que vivem nas ruas. Estamos desde o começo dessa quarentena formando uma corrente do bem. Pessoas da escola, nossos parentes, amigos, vizinhos, comerciantes estão nos ajudando com itens de alimentação e higiene para confeccionar as cestas básicas para a nossa comunidade, que é muito carente.”, disse Adiara Pereira, diretora do departamento feminino da Porto da Pedra.

A agremiação continua na campanha de arrecadação de alimentos e produtos de higiene pessoal e limpeza para a confecção de mais cestas básicas.